• Cabelinho

É Copa do Mundo Amigoooooo!

Minhas primeiras lembranças da Copa do Mundo datam de 1986. Naquela edição o Brasil de Careca, Alemão, Zico e Sócrates parou nas quartas-de-final, nos penais para a França. Foi a minha primeira tristeza esportiva. Fiquei desolado, lembro que meu pai me consolava e dizia que logo teria outra Copa para eu torcer pelo Brasil.


Na real estranho sempre quando alguém que gosta de futebol e é brasileiro, diz que torce contra a seleção canarinho. Respeito mas realmente estranho. O brasileiro em sua maioria é apaixonado por futebol e as teses para “secar” a seleção me soam estapafúrdias.

Uns falam da CBF, como entidade corrupta. Concordo em combater a corrupção e mudar quem está lá, mas sigo afirmando que uma coisa não tem nada a ver com a outra.


Outras pessoas citam o fato dos jogadores de futebol brasileiros serem “mimados”, “ganharem dinheiro demais” “ou se julgarem estrelas, enquanto heróis mesmo são os trabalhadores que sustentam suas famílias com um salário mínimo”. Eu concordo que jogador de futebol não tem nada de herói. Inclusive acho que os heróis que sustentam uma família ganhando um parco salário deveriam ganhar muito mais e ter melhores condições de vida. Porém o esporte como um todo é um negócio que movimenta muito dinheiro, logo os atores deste espetáculo merecem remuneração condizente. Uma coisa não inviabiliza a outra. Ou vocês acham que se o jogador de futebol ganhasse menos, esses valores automaticamente iriam para os mais necessitados? Não sejamos ingênuos não é mesmo.


Eu acho a Copa do Mundo sensacional. A oportunidade de colorados e gremistas torcerem pelo mesmo lado. A reunião das pessoas, os eventos, o momento, tudo eu acredito que conspira para que tenhamos situações incríveis.


Torci por Romário e Bebeto, fiquei triste com Zidane, passei madrugadas em claro com a família Scolari e fiquei muito feliz pela redenção do Fenômeno. Me iludi com o quadrado mágico de 2006, apoiei a seleção do Dunga em 2010. Acreditei que poderíamos ter levado a Copa de 2014 em casa e fiquei perplexo com o 7 a 1. Em 2018 tínhamos uma boa base mas não era fácil e realmente não deu.


Chegamos em 2022 copa acontecendo no nosso verão. Uma geração que é a melhor dos últimos quatro ciclos. Se vamos ganhar, difícil prever. Mas vou me divertir, torcer e deixar um pouco dos problemas que tenho, assim como todas pessoas, guardados para depois. Que venha o hexa e se não vier que venham momentos bacanas com as pessoas que eu gosto curtindo os jogos junto comigo.


Ah, e não esqueçam que, aqui na Clube, teremos uma programação especial, com Boletim, drops e muita informação, sempre com nosso jeito de comunicar!

Fiquem com a gente!




20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo